DICA DE LEITURA: “TRAVESSA DAS ISABÉIS”, DE GERARDO MELLO MOURÃO

Facebook0
Twitter200
Instagram0
WhatsApp
FbMessenger

Loading

A dica de hoje do jornalista Anderson Olivieri – responsável pela comunicação do Cartório de Sobradinho – é o poema “Travessa das Isabéis”, de autoria do cronista Gerardo Mello Mourão:

Travessa das Isabéis
Entre pedras e azulejos
Modulam Lisboa à noite
Seus corpos de realejos
A luz desce a ladeira
E cobre as pedras de beijos
Ó lua de Portugal
De seus Tejos e Alentejos.

Vi todas as Isabéis
Sem ver Isabel alguma
Na ladeira fui contando
As pedras uma por uma

Tinha os olhos nas janelas
E pedra a pedra subia
Travessa das Isabéis
Quantas Isabéis havia?

De seu sobrado amarelo
O cônsul francês sorria:
A cada Isabel que olhava
Era outra que aparecia

De sua janela verde
Uma Isabel nos espia
Outra Isabel no balcão
Acenava e me dizia
Que tantas quantas quisesse
Eram Isabéis que havia:
Cada qual a mais bonita
Olhos negros olhos verdes
olhos de azul ou de mel
Cada qual mais portuguesa
Cada qual mais Isabel
Os olhos no doce rosto
Eram mais doces que o mel
Debaixo das sobrancelhas
Duas uvas moscatel
Na guitarra das cinturas
Quero ser vosso segrel
Sois balada e serenata
Nas cordas do menestrel.

Às oito horas da noite
Se abriram vinte janelas
Cem Isabéis me acenaram
Do alto de todas elas

Às oito horas da noite
São cinco em cada balcão
Tomam seu banho de lua
Cheirando a manjericão

Ou cheiro de flor de laranja
Ou de alfazemas dos campos,
Boa noite — me murmuram
Seus olhos de pirilampos

Não sei quantas eram ruivas
Quantas louras e morenas
Trigueiras, claras, castanhas,
Risonhas, sérias, serenas,

Pois eram cem raparigas
Do primeiro ao quarto andar,
E começaram a rir
E eu começava a chorar —
Tão longe de minhas mãos
Tão perto de meu olhar —

Uma viola perdida
Cantava as meninas belas
E devagar uma a uma
Se fechavam as janelas
Não sei se era mão da lua
Ou se seria a mão delas —

Na ladeira um anjo bêbado
Me perguntava por elas
E nas varandas, ausentes,
Apareciam mais belas

Lisboa, boca da noite
aloendros e água-mel:
Cada qual mais portuguesa
Cada qual mais Isabel.

         Lisboa, botequim na esquina da
            trvessa das Isabéis, 1994

Visite-nos pelo https://linktr.ee/cartoriodesobradinho

(Siga o Cartório de Sobradinho no Instagram)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine e fique por
dentro de nossas
últimas notícias!

Balcão Virtual Extrajudicial!

Certificado
E-notariado

Veja Mais

DICA DE LEITURA: “FUTURO IMPROVÁVEL”, DE CLARICE LISPECTOR

Loading

DICA DE LEITURA: “FUTURO IMPROVÁVEL”, DE CLARICE LISPECTOR A dica de hoje do jornalista Anderson Olivieri – responsável pela comunicação do Cartório de Sobradinho – é a crônica “Futuro improvável”, de autoria da romancista e cronista Clarice Lispector: Uma vez eu irei. Uma vez irei sozinha, sem minha alma dessa

Lei n. 14.611, de 3 de julho de 2023.

Loading

Dispõe sobre a igualdade salarial e de critérios remuneratórios entre mulheres e homens; e altera a Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Foi publicada no Diário Oficial da União (D.O.U. de 04/07/2023, Edição 125, Seção 1, p. 1) a Lei n. 14.611/2023, dispondo

Olá visitante!

Institucional

Telefone: (61) 3298-3300

Endereço: Quadra Central Bl. 07 Loja 05

Receba nosso boletim semanal exclusivo com notícias de direito notarial e registral

Fique por dentro de todas as nossas novidades e serviços

 

Conheça também nossa página de Serviços e nosso Blog 

Também não gostamos de Spam, manteremos seus dados protegidos, Veja nossa política de privacidade