POSSO PAGAR PENSÃO ALIMENTÍCIA AO MEU EX-CÔNJUGE OU EX-COMPANHEIRO?

Facebook0
Twitter200
Instagram0
WhatsApp
FbMessenger

Loading

A professora e advogada Célia Arruda de Castro, especialista em Direito de Família, respondeu para o Blog do Cartório de Sobradinho diversas questões sobre o interessante tema “Pensão entre ex-cônjuges e ex-companheiros”.

Paira uma dúvida na sociedade sobre a viabilidade e pertinência de fixação de pensão alimentícia entre ex-cônjuges ou ex-companheiros, sua adequação em razão da subjetividade na identificação de requisitos legais de caracterização e necessidade ou não fixação de prazo de tempo para pagamento.

Para minimizar a insegurança de tais indefinições, seguem esclarecimentos acerca do contexto histórico que permeia a evolução da aplicação deste instituto e indicação das alterações sociais mais relevantes que impactaram nas mais recentes decisões dos tribunais alterando a Jurisprudência sobre o tema.

Hoje continua sendo possível pedir pensão para ex-cônjuge ou ex-companheiro; inclusive, homens dependentes de suas mulheres passaram a poder pedir pensão às suas ex-esposas quando estas forem mais bem sucedidas e melhor estruturadas financeiramente.

Ocorre que a pensão entre ex-cônjuges não é mais automática, como era no passado, pois só algumas situações muito excepcionais tornarão adequada sua fixação.

Confira todas as situações nas quais a pensão entre ex-cônjuges ou ex-companheiros é devida no artigo completo publicado no nosso Blog do Cartório de Sobradinho.

Visite-nos pelo https://linktr.ee/cartoriodesobradinho

(Siga o Cartório de Sobradinho no Instagram)

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine e fique por
dentro de nossas
últimas notícias!

Balcão Virtual Extrajudicial!

Certificado
E-notariado

Veja Mais

Guarda compartilhada é possível mesmo que pais morem em cidades diferentes

Loading

A guarda compartilhada – regime obrigatório de custódia dos filhos, salvo as exceções previstas em lei – deve ser fixada mesmo quando os pais morarem em cidades diferentes e distantes, especialmente porque esse regime não exige a permanência física do menor em ambas as residências e admite flexibilidade na definição

DICA DE LEITURA: “A CORTE DESINTERESSADA DOS ADVOGADOS”, DE SOBRAL PINTO

Loading

A dica de hoje do jornalista Anderson Olivieri – responsável pela comunicação do Cartório de Sobradinho – é a carta “A CORTE DESINTERESSADA DOS ADVOGADOS”, escrita por Sobral Pinto a Oswald de Andrade. Antes, um preâmbulo do Instituto Moreira Salles que explica a motivação da carta: De: Sobral Pinto Para: Oswald de Andrade

Olá visitante!

Institucional

Telefone: (61) 3298-3300

Endereço: Quadra Central Bl. 07 Loja 05

Receba nosso boletim semanal exclusivo com notícias de direito notarial e registral

Fique por dentro de todas as nossas novidades e serviços

 

Conheça também nossa página de Serviços e nosso Blog 

Também não gostamos de Spam, manteremos seus dados protegidos, Veja nossa política de privacidade